Artigos

consciência

Esta tag está associada a 6 posts

A verdadeira saúde é se harmonizar com um novo tempo !

Sua doença é o seu aliado, não seu inimigo!!

   Sua doen?a ? o seu aliado, n?o seu inimigoTenho 61 anos e nasci em Montreal (Canadá). Fui médica e hoje sou Ghislaine Lactot, médica da alma. Divorciei-me duas vezes, tenho quatro filhos (de 37e 28 anos) e quatro netos.

Política? Soberania individual! Acredite em si mesmo: você é divino e se esqueceu. A medicina moderna promove a doença, não a saúde: a denúncia sobre isso está em meu livro “A Máfia Médica”.

Estou gripado, o que você me receita? Nada. Nem um pouco de Frenadol? – Por quê? Para encobrir os sintomas? Não. Cuide de seus sintomas, ouça-se! E sua alma vai lhe dar a receita. Mas eu fico na cama ou não? – Pergunte a si mesmo, e faça o que você sente que lhe convém mais. Acredite em si mesmo! Mas os vírus não se importam com o que eu acredito! Oh, agora vejo: você escolhe o papel de vítima. Sua atitude é: “Eu peguei a gripe. Eu sou uma vítima de um vírus. Preciso de remédio”!- Claro que sim, como todos… Bem, aí está… Minha atitude seria: “Eu me dei uma gripe de presente. Eu sou o responsável! Devo me cuidar um pouco”. E eu gostaria de ir para a cama, repousaria, relaxaria, meditaria um pouco sobre como eu tenho me maltratado ultimamente. ..Você se deu uma gripe de presente, você diz? Sim! Sua doença vem de você, e não de fora. A doença é um presente que você faz para se encontrar consigo mesmo.

Mas ninguém quer uma doença… A doença reflete uma desarmonia interna em sua alma. Sua doença é o seu aliado, sinaliza que olhe para sua alma e veja o que acontece com você. Agradeça, pois lhe dá a oportunidade de fazer as pazes com você mesmo!

Talvez o mais prático fosse um comprimido… Fazer a guerra contra a doença? Isso é o que sugere a medicina de hoje, e as guerras matam, sempre trazem a morte.

Não me diga agora que a medicina mata… Um terço das pessoas hospitalizadas o são pelo efeito dos medicamentos! Nos Estados Unidos, 700.000 pessoas morrem anualmente por causa dos efeitos colaterais dos medicamentos e dos tratamentos hospitalares.

Morreriam do mesmo jeito sem medicação, ora. Não. Não se mudarmos o foco: a medicina moderna se esqueceu da saúde, é uma medicina da doença e da morte! Não é uma medicina da saúde e da vida. Medicina da doença? Esclareça!…Na China antiga, um acupunturista era demitido se o seu paciente ficasse doente. Ou seja, o médico cuidava de sua saúde! Entende? Toda nossa medicina é, portanto, um fracasso total.

Prefere remédios alternativos, por quê? Eles respeitam mais o corpo que a medicina industrial, é claro: a homeopatia (será a medicina do século XXI!) Acupuntura, fitoterapia, reflexoterapia, massoterapia. .. a prática da yoga… a meditação… são mais baratos… e bem menos perigosos.

Mas eles não salvam ninguém do câncer. Diga isso à medicina convencional! Ela o salvaria de um câncer? Pode fazer isso, sim. O que fará com certeza é lhe envenenar com coquetéis químicos, lhe queimar com radiação, lhe mutilar com extirpações… E, ainda por cima, a cada dia há mais câncer! Por quê? Porque as pessoas vivem esquecendo sua alma (que é divina): a paz de sua alma será a sua saúde, porque seu corpo é o reflexo material da sua alma. Se você se reencontrar com sua alma, se estiver em paz com ela… não haverá câncer! – Belas palavras, mas se seu filho tivesse câncer, o que você faria? Alimentaria sua fé em si mesmo: isso fortalece o sistema imunológico, o que afasta o câncer. O medo é o pior inimigo! O medo compromete a sua autodefesa. Nada de medo, nada de se render ao câncer! Tranqüilidade, convicção, delicadeza, terapias suaves…

Desculpe-me, mas faz mais sentido ir a um oncologista, um médico especialista. A medicina convencional só deve ser o último recurso, o extremo mesmo… E se sua alma estiver em paz, você nunca irá precisar dela.

Bem, tenhamos então a alma em paz… mas, se por acaso encontrarem a vacina? Não! Elas são produzidas com células de ovário de hamster cancerizadas para multiplicá-las e cultivá-las em um soro de bezerro estabilizado com alumínio (Este da hepatite B, com seu vírus): Você injetaria seus filhos com isso? – Já tenho feito isso várias vezes… E eu com os meus: Eu era médica, mas ainda não sabia o que sei agora … No entanto, hoje meus filhos já não vacinam a seus filhos!

Acho que vou continuar com as vacinas… Por quê? A medicina atual mata moscas com um martelo: nem sempre morre a mosca, mas sempre se quebra a mesa de cristal. Há tantos efeitos colaterais.. .

Por que abominou a medicina? Tornei-me uma médica para ajudar. Eu me concentrei em Flebologia, as veias varicosas. Cheguei a ter várias clínicas. Mas fui percebendo o poder mafioso na indústria médica, que prejudica nossa saúde, que vive à custa de que estejamos doentes! Denunciei isso… e fui expulsa da faculdade de Medicina.

Ou seja, você já não pode prescrever remédios… Melhor! Os medicamentos são fabricados pensando na lógica industrial do máximo benefício econômico, e não pensando em nossa saúde. Pelo contrário: se estamos doentes, a máfia médica continua fazendo dinheiro!

E a quem interessa a “máfia médica“? À Organização Mundial de Saúde (OMS), às multinacionais farmacêuticas que a financiam, aos governos obedientes, aos hospitais e médicos (muitos por ignorância).. . O que está por trás disso? O dinheiro! – Você não escolhe nenhum inimigo pequeno… Eu sei, porém, se eu tivesse me calado, teria ficado doente e hoje estaria morta.

Qual foi sua última doença? Dois dias atrás, heheee… uma diarréia!

E para refletir o que em sua alma? Oh, eu não sei, eu não analisei… simplesmente limitei-me a não comer… E já me sinto bem!

Mas, e se ficar muito mal, hein? Sei, sei… Se a doença for visitá-lo, acolha-a, abrace-a! Faça as pazes com ela! Não saia correndo como louco para encontrar um médico, um salvador… Seu salvador vive dentro de você. Seu salvador é você. Você é Deus!

“Os homens sempre esquecem que a felicidade humana é uma disposição da mente e não uma condição circunstancial. ”
John Lodke

A entrevistada por Victor-M.Amela é Ghislaine Lanctot (que aparece na foto acima), uma ex-médica e autora de “A Máfia Médica”, que desafia o atual sistema de saúde.

É dessa energia que você se alimenta???

Fusão Sadia-Perdigão sob más condições

CHAPECÓ (SC) – Dois anos depois de anunciada a fusão entre Sadia e Perdigão – que resultou na BRF-Brasil Foods -, as duas maiores produtoras de carnes de aves e suínos do país, a cidade de Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, vive a expectativa sobre a decisão do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Se outras empresas do setor temem uma concorrência desleal e predatória com uma gigante do porte da BRF-Brasil Foods, os trabalhadores apontam as dificuldades em convencer a companhia a melhorar as condições de trabalho. Mutilações e enfermidades causadas pelo frenético ritmo de produção levaram ao afastamento de 2.158 trabalhadores dos 6.900 da fábrica da Sadia na cidade nos últimos três anos.

Os baixos salários, somados a esses problemas de saúde sofridos pelos funcionários da Sadia na unidade de Chapecó, não têm atraído novos trabalhadores. A empresa, para manter a produção, tem buscado mão de obra em cidades distantes até 200 quilômetros da fábrica. Ela vem recrutando até índios na região. Nessa unidade são abatidos cerca de cinco mil suínos e pelo menos 400 mil frangos e perus por dia.

Empresa se comprometeu a desacelerar ritmo em 10%

Segundo levantamento do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carnes e Derivados de Chapecó (Sitracarnes), o número de funcionários afastados por doenças ou lesões ocupacionais na cidade é o maior entre todas as fábricas da Sadia no país.

As condições de trabalho na unidade e o grande número de afastados mereceram uma investigação do Ministério Público de Trabalho (MPT), que acabou em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). A investigação foi iniciada em 2009, e o TAC foi assinado em março deste ano. Além de pagar uma indenização no valor de R$ 2 milhões, a Sadia se comprometeu a rever a jornada de trabalho, com redução em 10%, por exemplo, no ritmo de produção nas áreas de desossa até 2013.

Até a chegada do Ministério Público, os funcionários tinham de destroçar um frango sob água gelada a cada oito segundos na linha de produção. A situação não melhorou muito, mas o sindicato conseguiu que os trabalhadores tenham cinco intervalos de 8 minutos ao longo da jornada, que é de 8 horas e 48 minutos por dia.

Sindicato quer piso de R$ 890, Sadia oferece R$ 750

De acordo com o presidente do sindicato, Jenir Ponciano de Paula, o próximo desafio é convencer a direção da empresa a melhorar o piso salarial dos trabalhadores, que hoje está em R$ 701. Em plena negociação com a empresa, o sindicato quer propor um piso de R$ 890, reposição da inflação (6,44%) e 8% de aumento real. A empresa oferece piso de R$ 750 e reajuste de 7%.

– Já existe uma falta generalizada de candidatos para as vagas na indústria da carne de Chapecó. Com esse salário, muito em breve nem os índios vão querer trabalhar aqui – disse De Paula.

Leia mais sobre esse assunto em

http://oglobo.globo.com/economia/mat/2011/06/18/fusao-sadia-perdigao-sob-mas-condicoes-924720286.asp#ixzz1Pj4WQmH5

© 1996 – 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Apego, aversão e desapego

 se os pensamentos não lhe trazem nitidez e clareza então voe para o seu coração. por alguns dias, depois de um redirecionamento brusco, sem que eu percebesse, me distanciei do meu. meus pensamentos confusos, não me davam o dom das palavras e nem do saber agir. eu tinha ído do apego à aversão!
os dias estavam se passando meio turvos e o caminhar seguia para onde eu não queria ir. tão certo quanto a morte, eu chegaria a um distúrbio de caráter segundo as palavras de Gandhi…
peraí, peraí, peraí! não é esse o meu caminho! tudo depende do que você quer. aonde você quer chegar? com certeza eu não quero levar dois anos processando tudo isso! a resposta que não é fácil de alcançar é, ao mesmo tempo, muito simples, mas não tem que ser pensada e sim sentida!
a questão é que eu sou o que sou. e eu sou o que me permiti construir. e nada do que vier de fora poderá mudar isso. meus atos, baseados nas minhas palavras e nos meus pensamentos [ou sentimentos] não podem ser influenciados por nada que venha de fora, ou então eu não estarei aplicando o conhecimento que obtive e estarei me distanciando do meu coração.
se reconheço um prazer que não vem da pele, é porque ele é muito mais profundo e só pode vir do centro do sentir! é de lá que surge, é lá que mora e é lá que vai continuar existindo.
ainda que o silêncio tente envenenar meus pensamentos não têm o poder de penetrar no coração. no coração tudo está claro e certo. o afeto, o apoio, o carinho, a afeição, a amizade e o amor que ainda brota estão lá, são concretos, são reais. isso nada tem a ver com você, com nada ou ninguém, a não ser com Ele de dentro de mim. nesse momento abro minhas mãos e deixo o balão partir, mas estarei aqui.
talvez isso seja praticar o desapego. e eu, sou o que sou e estou aqui, em paz e no mesmo lugar, só que, de novo, um pouquinho mais acima…
com a testa e o nariz colados aos seus, olhos nos olhos, baixo o meu olhar, como fazem os tibetanos. apesar das artemanhas, o que ficou impresso foi mais um momento especial. teacher, gratidão por me conduzir ao x da questão e me lembrar da lei da impermanência. afinal, a vida é yoga!
%d blogueiros gostam disto: