Artigos

conhecimento

Esta tag está associada a 3 posts

Pequenas mudanças de hábito ajudam a acabar com o cansaço do dia a dia

Descanse.

Se o cansaço não está ligado a nenhuma doença, é possível melhorar os níveis de energia no dia a dia fazendo algumas mudanças na rotina e na dieta.

A atividade física também é importante. Pessoas sedentárias reclamam mais do cansaço do que as ativas. Bastam 20 minutos de exercício três vezes por semana para reverter o quadro.

Confira abaixo as principais causas da fadiga no cotidiano e saiba como tratá-las:

Dormir pouco – É a causa mais óbvia, e a primeira que as pessoas tentam remediar quando sentem-se esgotadas. Diversos estudos mostram que dormir pouco afeta a concentração e a saúde. Se a dificuldade para dormir está ligada à ansiedade ou dura há mais de uma semana, o ideal é procurar um profissional. Só ele poderá diagnosticar corretamente o problema.

Apneia – Respirar mal durante o sono – ou até ficar alguns segundos sem respirar – afeta diretamente a disposição no dia seguinte. A maioria das pessoas nem sabe que tem a condição, que pode aumentar o risco de diabetes, pressão alta e doenças cardiovasculares. Parar de fumar e emagrecer costumam reduzir a apneia, mas muitas vezes é necessário fazer tratamento.

Dietas restritivas – Não comer direito, ou se alimentar com os alimentos errados, causa um grande desgaste ao organismo. Isto porque a falta de comida (ou o excesso de açúcar e produtos refinados) altera os níveis de açúcar do sangue. Coma pelo menos três refeições por dia que combinem proteínas, carboidratos, frutas ou verduras e só faça dietas com orientação de um profissional da área.

Anemia – O distúrbio é a principal causa da fadiga em mulheres na idade fértil. A perda de sangue durante a menstruação pode causar a deficiência de ferro, uma das principais causas da anemia. O mineral é fundamental para levar oxigênio para o sangue e para os tecidos. Consulte seu especialista sobre a possibilidade de investir em alimentos ricos na substância, feijão, folhas verdes e combinações adequadas.

Depressão – A tristeza e o desânimo que não passam também causam uma série de problemas físicos. Dor de cabeça, perda de apetite, sonolência, cansaço e falta de ânimo fazem parte do quadro. Se os sintomas não melhorarem após duas semanas, é hora de procurar ajuda.

Hipotireoidismo – A tireoide é uma pequena glândula que fica na base do pescoço. Ela é responsável pelo metabolismo, que controla a velocidade com que o corpo converte os alimentos em energia. Quando ela está pouco ativa, o metabolismo fica lento. Com isso, as pessoas ganham peso, retêm líquidos e ficam mais desanimadas. Um simples exame de sangue comprova o problema, que costuma ser facilmente tratado.

Excesso de cafeína – Chá, café, refrigerantes e mate, em doses adequadas, aumentam a disposição e a concentração. Só que em excesso (geralmente mais que duas xícaras de café ou duas latas de refrigerante por dia) aumentam os batimentos cardíacos, a pressão e o nervosismo. Se este é o seu caso, reduza o consumo aos poucos.

Doenças cardíacas – Perder o fôlego ou ficar cansado ao limpar a casa, cozinhar ou cuidar do jardim pode ser sinal de que algo não vai bem com o coração. Procure ajuda e elimine a possibilidade de doenças cardiovasculares.

 Publicado em O Globo em 26/11/2010 – com adaptações minhas.

Lua Nova de Julho

Estamos em plena Lua Nova!

Hoje a noite, ao observar a escuridão do céu, na ausência da luz prateada de nossa Mãe-Lua, poderemos mergulhar na imensão que permeia a tudo, dentro e fora de nós.

Neste período de penumbra, o campo magnético envolta do planeta diminui sua intensidade e o vazio torna-se soberano. A vida está vibrando mais lentamente e as sementes – e todas as formas de vida – encontram-se em estado latente.

Para que estas sementes – planos, projetos, vidas – nasçam faz-se necessária uma ação espontânea e um impulso propulsor que as tire do estado inerte. Durante a escuridão da Lua Nova, prevalece o instinto e a consciência apresenta-se adormecida.

Recomenda-se plantar sementes no jardim, ou na vida! Lance a sua frente seus sonhos, projetos e novas atitudes. Fundamente seus desejos…

Pode ser que nem todos os seus investimentos vinguem, mas certemente, as sementes mais fortes irão brotar.

Neste mês, em especial, vigora uma energia criativa muito forte que nos incentiva a realizar nossos trabalhos e a criar novos planos. Aproveite isso!

Como sempre, devo créditos ao livros mágicos da Mirella Faur…

Talvez seja porque ainda este mês teremos mais uma Lua Nova.

E a propósito, a Ciranda da Lua Nova ficará para o dia 30 de julho e será em minha casa e as  mulheres do Clã da Serra estão todas convidadas!

amor: eros, storgé, philos e agapé

Intuitivamente achei que houvesse uma explicação para cada forma de amar. sou geminiana e naturalmente apaixonada, então o amor esteve sempre muito presente na minha vida. observar a maneira como o amor se expressa, ou como as pessoas expressam seu amor [claro, que muitas vezes embolada em alguma situação em particular] me levou a acreditar na existência de mais de um tipo de amor, afinal, não é possível que Jesus Cristo fale há tanto tempo em amor – ” ame a seu próximo como a si mesmo”, ” ame os seus inimigos” – e até hoje não tenhamos conseguido chegar lá! só podemos estar pegando um caminho diferente…

numa das minhas leituras encontrei uma coisa que me chamou a atenção. se você não sabe o que busca, muito provavelmente não tem chance de encontrar, de forma que, talvez seja melhor saber que tipo de amor esteja buscando.

para iniciarmos um entendimento a respeito do amor é preciso que o desdobremos em quatro palavrinhas de origem grega. isso, até onde eu pude entender, é claro!
o novo testamento foi escrito originalemente em grego. para os gregos existem quatro palavras diferentes para descrever amor: eros, storgé, philos e agapé. eros, da qual deriva erótico, significa sentimento baseado em atração sexual e desejo ardente. storgé, que quer dizer afeição, representa o sentimento especialmente que nutrimos pela família e amigos mais próximos, aquela outra família. o fato é que nem eros, nem storgé aparecem no novo testamento. a outra palavra é philos, um sentimento de fraternidade, que aparece quando temos um amor recíproco, um amor condicional, quando você ama por ser amado, quando você retribui quando alguém o faz sentir especial. a última palavrinha é agapé que os gregos empregavam para descrever um amor incondicional, baseado no comportamento que temos em relação às pessoas, sem que haja uma necessidade de troca.
percebe? não existe em agapé um sentimento e sim um comportamento.
o amor ao qual Jesus se refere é agapé. um comportamento amoroso que devemos ter com as outras pessoas, independente de que elas tenham conosco ou não.
daí, então, leve para a prática diária: quando aquele carinha quiser “aquilo” e falar que te ama, não escute amor, e sim eros e poupe-se da ilusão! quando seu chefe te encher os pacová pratique agapé com ele e livre-se de uma demissão!
depois, quando eu falo que falo grego e por isso ninguém me entende, as pessoas acham que estou brincando…
Este artigo foi publicado originalmente em meu blog em 15.07.09.
%d blogueiros gostam disto: